du.sePublications
Change search
CiteExportLink to record
Permanent link

Direct link
Cite
Citation style
  • apa
  • harvard1
  • ieee
  • modern-language-association-8th-edition
  • vancouver
  • Other style
More styles
Language
  • de-DE
  • en-GB
  • en-US
  • fi-FI
  • nn-NO
  • nn-NB
  • sv-SE
  • Other locale
More languages
Output format
  • html
  • text
  • asciidoc
  • rtf
Maria Graciete Besse: das margens do exílio à exiliência no feminino
Dalarna University, School of Humanities and Media Studies, Portuguese. (LIT)ORCID iD: 0000-0002-7975-8898
2016 (Portuguese)Conference paper, Abstract (Refereed)
Abstract [pt]

Ao explorar as Representações da Diáspora Portuguesa do Século XX e, nomeadamente, os destinos de alguns escritores portugueses que se exilaram no estrangeiro, Ana Paula Coutinho Mendes estabelece uma diferença entre “os casos de exílios impostos pelas circunstâncias” sociais, políticas e culturais, e os de “exílio deliberado, voluntário”, que causaram o abandono do país natal. É de notar que para ilustrar o caso de “exílio deliberado”, ou mais precisamente de “auto-exílio”, a investigadora menciona maioritariamente autoras ou artistas femininas, por exemplo Maria G. Besse, Maria Gabriela Llansol ou ainda Vieira da Silva. Esta distinção aponta para uma tomada em conta da “feminização do movimento de migração”, aspecto sobre o qual poucos estudos, até muito recentemente, se debruçaram, e, em segundo lugar, vem sublinhar uma especificidade de género no movimento migratório português, pondo em causa o androcentrismo das ciências sociais e humanas que eleva o homem (e as suas preocupações) a nível de referente universal nos movimentos de e/imigração. Pois, como escreve Mirjana Morokvasic a propósito da marginalização da experiência exílica feminina: “Birds of passage are also Women…”. Essa estudiosa acrescenta que para as mulheres “migration is a move from a more oppressive […] to a less oppressive environment”, um movimento que prefigura “a rejection, conscious or unconscious of traditional female roles […].”

À luz destas afirmações sobre o tema do auto-exílio feminino e da sua possível correlação com a recusa dos papéis ou estereótipos impostos às mulheres, propomo-nos desenvolver uma análise da obra ficcional de Maria G. Besse, atentando sobre a maneira como esta espelha os motivos/preocupações/frustrações ligados à condição feminina em Portugal. Assim, esforçar-nos-emos por revelar como, numa espécie de imbricação entre vida e obra, o ciclo ficcional da escritora transpõe o auto-exílio vivido nas experiências exílicas das suas personagens femininas, revelando “um desejo indelével de emancipação” para “escapar ao determinismo social da genealogia feminina” e, através disso, a escolha de um “não-lugar”, de uma “outra maneira de ser”, próprios da Exiliência.

 

Place, publisher, year, edition, pages
2016.
Keyword [pt]
A questão identitária na migração/exílio e género sexual
National Category
Languages and Literature General Literature Studies
Research subject
Intercultural Studies
Identifiers
URN: urn:nbn:se:du-23730OAI: oai:DiVA.org:du-23730DiVA: diva2:1059900
Conference
•International Conference, « Exiliance des femmes dans le monde lusophone (XXe – XXIe siècles) »,organized by Université de Paris – Sorbonne – Paris IV (CRIMIC) : 10-11 November 2016 et Universidade do Porto (FLUP/ ILC) : 08-09 November 2016.
Note

This article will be published in 2017

Available from: 2016-12-26 Created: 2016-12-26 Last updated: 2016-12-26Bibliographically approved

Open Access in DiVA

No full text

Search in DiVA

By author/editor
Lentina, Alda Maria
By organisation
Portuguese
Languages and LiteratureGeneral Literature Studies

Search outside of DiVA

GoogleGoogle Scholar

Total: 63 hits
CiteExportLink to record
Permanent link

Direct link
Cite
Citation style
  • apa
  • harvard1
  • ieee
  • modern-language-association-8th-edition
  • vancouver
  • Other style
More styles
Language
  • de-DE
  • en-GB
  • en-US
  • fi-FI
  • nn-NO
  • nn-NB
  • sv-SE
  • Other locale
More languages
Output format
  • html
  • text
  • asciidoc
  • rtf